Ao vivo

Deputado guineense ferido a tiro após ataque junto da sua residência

08.05.2022

O deputado guineense Agnelo Regala foi vítima de um ataque junto à sua residência em Bissau, tendo sofrido ferimentos numa perna na sequência de disparos feitos contra si. Governo português condenou o ato de violência.

"Levei um tiro e foram disparados quatro", disse o também líder da União para a Mudança e proprietário da Rádio Bombolom, em declarações à agência de notícias Lusa.

Agnelo Regala contou à Lusa que, este sábado (07.05), estava no passeio juntamente com um vizinho quando foram feitos os disparos. "Passou uma viatura ao fundo da rua e, quando desceu a rua, foi disparado um tiro de dentro da viatura. Baixei-me e fugi e foram disparados mais três tiros", disse.

A União para a Mudança, na oposição no Parlamento da Guiné-Bissau, faz parte do Espaço de Concertação dos Partidos Democráticos guineenses, que esta semana afirmou que o incumprimento da lei para o envio de uma missão militar para o país pode configurar uma invasão pelas forças da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

O Espaço de Concertação "condenou sem reservas os sinais de desprezo e desconsideração à soberania da República da Guiné-Bissau por parte das entidades promotoras e autoras da decisão" e exortou a CEDEAO a respeitar os princípios fundamentais que sustentam a organização. 

Governo português condenou ataque

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal condenou este domingo (08.05) o ato de violência contra o deputado guineense Agnelo Regala.

"O Ministério de Negócios Estrangeiros condena o ato de violência contra o deputado Agnelo Regala", pode ler-se numa nota publicada no Twitter oficial do ministério liderado pelo ministro João Gomes Cravinho. 

Na curta mensagem pode ler-se ainda: "o livre exercício da democracia deve ser garantido por um ambiente de segurança e liberdade". 

05:14 min.
Guiné-Bissau | 24.02.2022

Reflexões Africanas: As ameaças à democracia da Guiné-Bissau